Receba dicas grátis!

Tratamento com ozônio ou cloro para piscina? Veja qual a melhor opção para você

Os tratamentos para piscina são fundamentais para eliminar os microrganismos, como fungos e bactérias, que podem ser bastante prejudiciais para a saúde dos banhistas. O tratamento com cloro costuma ser o mais utilizado. Mas o tratamento com ozônio também pode ser uma ótima alternativa.

Você conhece bem essas opções? Quer saber qual é a melhor opção de tratamento para a sua piscina? Então continue a leitura e saiba um pouco mais a respeito do tratamento com ozônio e do tratamento com cloro para piscina!

O tratamento com cloro para piscina

O tratamento com cloro é normalmente o mais utilizado nas piscinas residenciais. Ele pode ser aplicado diretamente na piscina e precisa de cerca de uma hora para agir, sendo distribuído de maneira uniforme na água.

No entanto, para que o cloro não se torne um vilão na sua área de lazer, é conveniente respeitar muito bem as indicações de uso. Caso contrário, a substância pode causar irritação e ardor nos olhos, ressecamento da pele e problemas respiratórios, além de deixar a piscina com um cheiro muito forte.

A maior vantagem é sua eficácia no combate de bactérias, germes e demais microrganismos que podem se proliferar na água. Além disso é de baixo custo e facilmente compatível com a maioria das bombas para piscina e outros equipamentos.

Sua desvantagem pode ser apontada na necessidade de tratar várias vezes a água, uma vez que o cloro para piscina se mostra um tratamento de baixa duração.

O tratamento com ozônio para piscina

Outro proposta com boa eficácia contra bactérias e demais impurezas na água é o tratamento com ozônio. É mais usado em grandes piscinas que recebem muitos banhistas, como nos clubes, hotéis e academias.

Para esse tipo de manutenção, é necessária a instalação de um equipamento específico para converter as moléculas de oxigênio em moléculas de ozônio (o ozonizador). O equipamento é instalado nas tubulações da piscina e é compatível com os diferentes tipos de piscina, seja de fibra, alvenaria ou vinil.

A desvantagem é que essa máquina precisa de manutenção periódica, e o seu funcionamento só é possível plugado na energia elétrica. É preciso ter muito cuidado para que o gás não vaze na piscina (nem na casa das máquinas), pois é tóxico. Se o filtro da piscina não estiver ligado, o tratamento não funcionará.

Ainda assim, com o ozônio é possível reduzir as chances de irritações e alergias. E o aspecto de água limpa e transparente é garantido.

O que levar em conta na hora de escolher o tratamento

É importante que o tratamento, além de uma boa relação custo-benefício, traga a solução para todas as suas necessidades. Por isso, verifique o tamanho da sua piscina, os equipamentos que você já tem e que podem auxiliar no tratamento, as necessidades de manutenção em relação ao tratamento em questão, bem como os produtos químicos utilizados.

Dependendo do processo que você escolher para o tratamento da piscina, pode ser necessária a realização de um treinamento apropriado para operar e cuidar bem dela. Daí a importância de saber os prós e os contras de cada uma das opções acima listadas.

Independentemente da sua escolha entre o tratamento com ozônio ou com cloro para piscina, o mais importante é garantir uma boa qualidade da água para os banhistas. Assim todos poderão curtir a área de lazer sem grandes preocupações.

O que achou do post? Deseja tirar alguma dúvida? Deixe aqui o seu comentário!

Adicionar comentário