Receba dicas grátis!

Por que utilizar ozônio na piscina?

Manter uma piscina em casa demanda manutenção constante. Inclusive, no que diz respeito ao apropriado tratamento da água. Afinal, para a segurança de seus usuários, é preciso que os microorganismos sejam eliminados por completo.

Atualmente, o cloro já está caindo em desuso, devido aos diversos inconvenientes que causa. Entre eles, o cheiro forte na piscina, o ressecamento de pele e cabelos, a ardência nos olhos.

Uma incrível opção passa a ser a utilização correta de ozônio na piscina, composto que realiza o tratamento integral, sem deixar qualquer vestígio no ambiente. Você conhecia essa solução? Entenda agora seus benefícios e descubra por que você deve dar preferência ao ozônio.

Quando o ozônio começou a ser utilizado?

O ozônio na piscina vem sendo empregado desde a década de 1950 na Europa e nos Estados Unidos, mas se popularizou recentemente em todo o mundo. Além de ser mais econômico em relação ao cloro, é também mais potente, ficando apenas atrás do flúor.

Para que não restem dúvidas sobre seu uso, basta lembrar que as piscinas de competição que abrigam os maiores atletas do planeta são tratadas com esse composto, pois eles não podem ficar expostos a reações e alergias.

Por lei, o cloro ainda precisa ser usado para complementar o tratamento da água de piscinas. No entanto, em uma quantidade muito menor, de modo a não causar grandes interferências e incômodos.

Quais são os benefícios de usar o ozônio na piscina?

Os benefícios trazidos pela utilização de ozônio na água da piscina são inúmeros. Afinal, ele faz muito mais do que eliminar bactérias, fungos e até mesmo vírus.

Para começar, esse composto é cerca de 100 vezes mais eficaz do que o cloro, o que garante a completa limpeza da água, além de agir muito rapidamente. Ainda que seja forte, as roupas de banho não estarão sujeitas à descoloração — e durarão assim muito mais tempo.

Outra vantagem é que, com este gás, os banhistas não sofrem nenhum tipo de ressecamento no corpo. E muito menos irritação nos olhos. Ele é totalmente seguro para o contato humano e não deixa qualquer odor na água.

Por não desprezar resíduos no ambiente, o ozônio pode ser qualificado como uma matéria sustentável. Seu sistema de tratamento consome pouca energia elétrica e é automático.

O ozônio na piscina também não provoca qualquer desgaste nos equipamentos e estrutura da área. E ainda impede a proliferação de microorganismos que se mostram resistentes ao cloro.

Como ter uma piscina ozonizada?

O sistema que leva o ozônio até a água é simples e pode ser montado na própria casa de máquinas de sua residência. Ele deve ser instalado na tubulação de retorno de água, entre o filtro convencional e a bomba.

Contudo, o modelo ideal só poderá ser definido com a ajuda da avaliação profissional, pois é determinado de acordo com a quantidade de litros da piscina. Dessa maneira, o equipamento escolhido realizará a purificação de toda a água sem nenhum transtorno.

Sem dúvidas, o tratamento com ozônio na piscina é uma prática segura e recomendada. Você já está preparado para adotar esse método na sua casa? Deixe seu comentário, contando a sua opinião!

Adicionar comentário